A árvore da Montanha




A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Essa árvore tem um tronco, ai ai ai que lindo tronco,
da árvore da montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Esse tronco tem um ramo ai ai ai que lindo ramo,
do tronco, da árvore da  montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Esse esse ramo tem uma folha, ai ai ai que linda folha,
do ramo, do tronco, da árvore da  montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Essa folha tem um ninho, ai ai ai que lindo ninho,
da folha, do ramo, do tronco, da árvore da  montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Esse ninho tem um passarinho, ai ai ai que lindo passarinho,
do ninho, da folha, do ramo, do tronco, da árvore da  montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
Esse passarinho tem penas amarelas, ai ai ai que lindas penas,
do passarinho, do ninho, da folha, do ramo, do tronco, da árvore da  montanha.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.
A árvore da montanha, a e i o u.

A arca de noé


Na arca de Noé 
Entram todos, entram todos 
Na arca de Noé 
Entram todos dois a dois
1º Os burrinhos e os patos
 Na arca de Noé
 Entram todos, entram todos  
Na arca de Noé  
Entram todos dois a dois
2º Os burrinhos e os patos  
Os cavalinhos e os gatos
Na arca de Noé
 Entram todos, entram todos 
Na arca de Noé 
Entram todos dois a dois
3° Chimpanzé e cangurus  
2° Cavalinhos e os gatos  
1° Burrinhos e os patos
Na arca de Noé
 Entram todos, entram todos 
Na arca de Noé
 Entram todos dois a dois
Os burrinhos e os patos  
Cavalinhos e os gatos  
Chimpanzés e cangurus 
 Os leões e os marabus

É Verão !!!!

"SÃO JOÃO BONITO"



Ó meu São João Bonito, bem bonito que ele é
Bem bonito que ele é
Com os seus caracóis de oiro, e seu cordeirinho ao pé
E seu cordeirinho ao pé
Não há nenhum assim, pelo menos para mim
Nem mesmo São José

Santo António já se acabou
O São Pedro está-se acabar
São João, São João
Dá cá um balão
Para eu brincar

Santo António já se acabou
O São Pedro está-se acabar
São João, São João
Dá cá um balão
Para eu brincar

Ó meu São João bonito, dos milagres sem igual
Dos milagres sem igual
Vem trazer santa alegria, às gentes de Portugal
Às gentes de Portugal
Ouve a nossa canção, e livrai de todo o mal
Meu rico São João

Santo António já se acabou
O São Pedro está-se acabar
São João, São João
Dá cá um balão
Para eu brincar

Santo António já se acabou
O São Pedro está-se acabar
São João, São João
Dá cá um balão
Para eu brincar

Santos Populares



No mês de Junho celebram-se três Santos a quem o povo tem grande devoção, nem sempre expressa da forma mais ortodoxa. São eles: Santo António, cuja festa litúrgica ocorre dia 13, São João e São Pedro, cujas festas que se comemoram a 24 e 29 deste mês, respectivamente.
Santo António nasceu em Lisboa, por volta do ano de 1195 e em 1210 entrou no Mosteiro de São Vicente de Fora, dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Em 1220 deixou os Cónegos Regrantes e ingressou na Ordem Franciscana, influenciado pela visita que as relíquias dos Mártires de Marrocos (franciscanos) fizeram a Coimbra, onde Santo António tinha professado. Foi ordenado sacerdote em 1222 e notabilizou-se como pregador – pregava contra as injustiças, as desordens sociais, a exploração dos mais desfavorecidos, etc. Tinha o dom da bilocação – um dia estando a pregar soube que algo se estava a passar noutra cidade e então, sem abandonar o púlpito, apareceu nessa cidade ao mesmo tempo. A sua morte ocorreu em Pádua, não como mártir como chegou a desejar, mas de doença, apesar da idade – morreu com 36 anos. Porque morreu em Pádua, os italianos e muitos outros chamam-lhe “Santo António de Pádua”, mas ele é bem português – “alfacinha de gema”. Foi canonizado e considerado Doutor da Igreja.
Santo António é conhecido como “santo casamenteiro”, porque segundo uma lenda protegia as raparigas pobres que queriam casar, mas não tinham dinheiro para o dote. Para isso pedia esmolas que depois canalizava para essas raparigas que assim com o dote já podiam casar. É também invocado para fazer aparecer qualquer coisa perdida. A devoção ao santo neste assunto, levou uma pobre mulher a fazer, um dia, esta oração: “Senhor Jesus Cristo, pedi ao Senhor Santo António que me faça aparecer as chaves de casa” (sem comentários…).
Santo António é festejado, entre nós, um pouco por todo o país, mas sobretudo em Lisboa a sua festa tem grande relevo.
São João era filho de Zacarias e Isabel, primo de Jesus. Foi quem baptizou Jesus no rio Jordão. Daí o sobrenome de Baptista, para o distinguir do Apóstolo S. João, autor do 4º Evangelho. Era um homem austero no seu modo de viver – vestia-se de peles e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Ficou célebre a sua atitude corajosa quando criticou Herodes Antipas por ter tomado como mulher a sua cunhada. Herodíades a mulher visada nas suas recriminações, nunca lhe perdoou e um dia num jantar festivo, induziu a filha a pedir a Herodes a cabeça de João Baptista que estava encarcerado. Morreu mártir e a Festa litúrgica da sua morte, celebra-se a 29 de Agosto. É um santo que tem duas comemorações ao longo do ano litúrgico: o dia do seu nascimento, o que não é comum aos outros santos, e o da sua morte. A única excepção refere-se a Nossa Senhora, Rainha de todos os santos: comemoramos o seu nascimento a 8 de Setembro e a sua morte e assunção ao céu a 15 de Agosto.
João Baptista anunciou a chegada de um novo reino, segundo a promessa feita por Deus aos patriarcas do Antigo Testamento. Com a sua missão profética chamou os homens à conversão e foi considerado como o último dos profetas, encerrando o ciclo das profecias do Antigo Testamento. Como sinal de amizade e gratidão para com João e com verdadeira humildade, Jesus deixou-se baptizar por ele – Jesus, que é Deus, não precisava do rito do baptismo, pois não tinha pecados.
São João Baptista é muito festejado em muitas cidades, quer portuguesas quer estrangeiras, mas entre nós, os festejos são mais grandiosos em Braga e no Porto. É padroeiro dos alfaiates e correeiros.
São Pedro, de seu nome próprio Simão, era natural da Galileia, filho de Jonas pescador de profissão, e como o pai, também ele pescador. Escolhido por Jesus, este mudou-lhe o nome – de Simão passou a chamar-se Cefas, que quer dizer “pedra” – em função da missão que o Senhor lhe confiaria, de chefe dos Apóstolos. É considerado o primeiro Papa da Igreja católica. É considerado o guarda da porta do Céu, por isso a iconografia o representa com umas chaves na mão. Morreu mártir entre os anos 64 e 67 da era cristã, tendo sido crucificado, (de cabeça para baixo, para, por humildade, não se assemelhar, na morte ao seu Mestre – Jesus) às ordens de Nero. É padroeiro dos pescadores.
A sua festa celebra-se a 29 de Junho, com grandes manifestações, um pouco por todo o país, sobretudo nas comunidades piscatórias, como a Afurada em Vila Nova de Gaia. Cidades do interior também o festejam, nomeadamente Vila Real de Trás-os-Montes.

in: http://www.jornaldascaldas.com/index.php/2011/06/16/os-santos-populares/
    

Dia da Criança

O primeiro Dia Mundial da Criança foi em 1950. Após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, os países da Europa, Oriente Médio e China, entraram em crise. As populações destes países viviam muito mal, em especial as crianças. Os adultos estavam preocupados em retornar a sua vida cotidiana normal, relegando a educação a último plano. Muitos ficaram órfãos, e muitos que tinham ainda seus pais vivos tiveram de ir trabalhar pesado para contribuir para o sustento da família.
Foi quando em 1946, a ONU (Organização das Nações Unidas), começou a tentar  mudar esta situação, deu-se então o surgimento da UNICEF que é conhecida mundialmente  pelo que faz pelas crianças em todo o mundo!
Apesar de todos os esforços na altura, ainda era difícil fazer com que o mundo olhasse para os direitos das crianças, então em 1950 a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propos a ONU que fosse criado um dia dedicado as crianças em todo o mundo. 

Este dia foi comemorado pela primeira vez em 1 de Junho de 1950.