A FÁBULA DA ÁGUIA E DA GALINHA


Esta é uma história que vem de um pequeno país da África Ocidental, Gana, narrada por um educador popular, James Aggrey, nos inícios deste século, quando se davam os embates pela descolonização. 

"Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro, a fim de mantê-lo cativo em casa. Conseguiu pegar um filhote de águia.
Colocou-o no galinheiro junto às galinhas. Cresceu como uma galinha.
Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista.
Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
- Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.
- De fato, disse o homem.- É uma águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais águia. É uma galinha como as outras.
- Não, retrucou o naturalista.- Ela é e será sempre uma águia. Este coração a fará um dia voar às alturas.
- Não, insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e, desafiando-a, disse:
 Já que você de fato é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe!
A águia ficou sentada sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.
O camponês comentou:
- Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!
- Não, tornou a insistir o naturalista. - Ela é uma águia. E uma águia sempre será uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa.
Sussurrou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!
Mas, quando a águia viu lá embaixo as galinhas ciscando o chão, pulou e foi parar junto delas.
O camponês sorriu e voltou a carga:
- Eu havia lhe dito, ela virou galinha!
- Não, respondeu firmemente o naturalista. - Ela é águia e possui sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para o alto de uma montanha. O sol estava nascendo e
dourava os picos das montanhas.
O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!
A águia olhou ao redor. Tremia, como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte.
Foi quando ela abriu suas potentes asas.
Ergueu-se, soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto e voar cada vez mais para o alto.
Voou. E nunca mais retornou." 

Existem pessoas que nos fazem pensar como galinhas. E ainda até pensamos
que somos efetivamente galinhas. Porém é preciso ser águia. Abrir as asas e voar. Voar como as águias. E jamais se contentar com os grãos que jogam aos pés para ciscar.”
Extraído de artigo publicado pela Folha de São Paulo, por Leonardo Boff, teólogo, escritor e professor de ética da UERJ. 


Já chegou a Primavera

Refrão

Já chegou a Primavera

As florzinhas coloridas
vão crescer

Passarinhos pelo céu

estão a chegar

E o Sol não vai parar de brilhar.

I 

Chegam as andorinhas

As cegonhas também
E até as abelhas
Saltam aqui e além.
 
Canta o grilo feliz
Tudo fica verdinho
Pássaros fazem seus ninhos
E lá dentro põem os ovinhos.
 
   

II
Os coelhos espertos
Fazem tocas novinhas
E as árvores que vão dar frutos
Estão carregadas de florzinhas.
 
Coaxa a rã no seu charco
Nada o peixe no rio
Brinca alegre a criança
Já não há chuva nem há frio.

Música de Batatoon)
Letra: Educadora Margarida Cardoso

Primavera - Desenhos para colorir

Dia do Pai


O Dia dos Pais tem origem na antiga Babilônia, há mais de 4 mil anos. Um jovem chamado Elmesu moldou em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai
Nos Estados Unidos, Sonora Luise resolveu criar o Dia dos Pais em 1909, motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. O interesse pela data difundiu-se da cidade de Spokane para todo o Estado de Washington e daí tornou-se uma festa nacional. Em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia dos pais
Devido a história, nos Estados Unidos, ele é comemorado no terceiro domingo de Junho. Em Portugal é comemorado a 19 de Março. No Brasil, é comemorado no segundo domingo de Agosto. A criação da data é atribuída ao publicitário Sylvio Bhering, em meados da década de 50, festejada pela primeira vez no dia 14 de Agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família. (dia que também se comemora o dia do padrinho segundo a tradição católica).

Lendas do Mar

Os três avisos do mar
 
Um velho pescador fizera fortuna a retirar do mar todo o peixe e todo o marisco que ele tinha para lhe dar. Com o dinheiro ganho, construiu casas e comprou terras. Quanto mais ganhava, mais ele queria ganhar,  quanto mais tinha, mais ele queria ter.
Até que um ano o peixe começou a escassear, e o velho pescador preocupado foi para uma rocha junto ao mar pedir ao Grande Deus das Águas que lhe torna-se a dar peixe.
Enquanto o velho pescador se desfazia em promessas, o mar ia subindo e cercando o rochedo onde ele estava.
Em primeiro passou um barco pequeno com um homem a conduzi-lo que disse para ele sair dá li enquanto o mar estava baixo, mas ele não ligou.
Em segundo uma gaivota que andava  aos círculos, rente a sua cabeça disse para ele  sair dá li enquanto tinha tempo, mas ele também não lhe deu atenção.
Em terceiro saiu um peixe-voador do mar que lhe disse para ele se montar ao seu dorso que o levava a terra, mas ele também não interessou.
Quando caiu a noite o velho pescador, já cansado de tanto rezar, ia ir embora mas reparou que estava rodeado de água até aos pés e dirigiu-se de novo ao Grande Deus das Águas em tom de protesto e disse-lhe que não lhe tinha atendido aos pedidos como o deixou ali sem o salvar.
E uma voz vinda do céu disse que lhe tinha mandado um pescador,uma gaivota e um peixe-voador para o avisar, mas tu não deste ouvidos a nenhum.
E assim tem sido toda a sua vida. Só deste ouvidos ao tilintar das moedas que a abundância de peixe te punha nos cofres. Mas quem dá o peixe, também o tira.
O velho pescador pos-se a pensar e adormeceu. Quando acordou viu que estava salvo e dai em diante o pescador partilhava o peixe com outros pescadores mais pobres e quando um peixe voador lhe vinha ter a rede ele libertava-o.


Carnaval

Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar no cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou "carne vale" dando origem ao termo "Carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no Carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer Carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São Paulo, Tóquio e Helsinque, capital da Finlândia.
O Carnaval do Rio de Janeiro está no Guinness Book como o maior Carnaval do mundo.Em 1995, o Guinness Book declarou o Galo da Madrugada como o maior bloco de Carnaval do mundo.

O PALHAÇO




De nariz vermelho
E cara pintada
Sapatos gigantes
Não lhe falta nada!

É o rei da festa
Rei da criançada
Faz mil brincadeiras
Provoca a risada.

E aos distraídos
Prega mil partidas
Mas ninguém se zanga
Pois são divertidas!

Quem sabe quem é?
Eu não vou dizer!
Basta estar atento
Está-se mesmo a ver...


(melodia "Papagaio Loiro")

CABELEIRA DO ZEZÉ


Olha a cabeleira do zezé
Será que ele é
Será que ele é
Será que ele é bossa nova
Será que ele é maomé
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é
Corta o cabelo dele!
Corta o cabelo dele!