Adivinhas

Ainda antes de a mãe nascer, já anda o filho a correr.  
R:A chama e o fumo
Alto está, alto mora, ninguém o vê, todos os adoram. 
R:Deus
Altos castelos, lindas janelas, abrem e fecham, ninguém mora nelas.  
R:Olhos
Ando para trás e para frente, quase sempre a passar, muitas vezes com o rabo quente, mas nada quer queimar.  
R:Ferro de engomar
Aproveitam e desperdiçam tudo o que vão fazer, pois os dedos pêlos olhos, todos lhe querem meter.  
R:Tesoura
Branca como a neve, preta como a paz, fala e não tem boca. Ainda não tem pés.  
R:Carta
Dois irmãos do mesmo nome, vão marchando com afinco, mas um dá sessenta passos, enquanto o outro dá cinco. 
R:Ponteiros do relógio 
É bom para se comer, mas não se come assado nem cru, nem cozinhado, o que é? 
R:Prato 
É muito bom para o pequeno almoço e também para o lanche se queres crescer muito também o beber ao deitar. 
R:Leite 
É uma caixinha, de bem querer, não há carpinteiro, que a saiba fazer?
R:Noz

Canção da Alimentação

Eu sou pequenino
           Mas já sei escolher ( bis)
Os bons alimentos
Para bem viver.
 
Para ter saúde
Eu quero comer (bis)
Carne, peixe e ovos
E leite beber.
 
Eu quero crescer
Ser um valentão(bis)
Como hortaliças
Fruta, Queijo e pão.
 
Antes de comer
As mãos vou lavar
E os meus dentinhos
Antes de deitar.

As Janeiras

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura
O que são as Janeiras
 
Formam-se grupos pequenos ou com dezenas de elementos que cantam e animam as localidades, indo de casa em casa ou colocando-se num local central (esta é uma versão mais recente), desejando de uma forma tradicional um bom ano a todos os presentes.

Nos grupos de janeireiros, toca-se pandeireta, ferrinhos, tambor, acordeão e viola, por exemplo.

Em muitas aldeias esta tradição mantém-se viva, especialmente no Norte de Portugal e nas Beiras:
"Nesta altura juntam-se os amigos que vão cantar as janeiras a casa dos vizinhos. Antigamente recebiam filhoses, vinho e outros artigos que as pessoas possuíam" conta António Manuel Pereira, presidente da Federação de Ranchos Folclóricos da Beira Baixa.

No entanto, cantar as Janeiras ainda se faz um pouco por todo o País.

As pessoas visitadas eram (são) normalmente muito receptivas aos cantores e aos votos que vêm trazer, dando-lhes algo e desejando a todos um bom ano.